para Richard Horne e seus últimos ursos polares*


o ultimo urso polar

Difícil ser o último. O último de uma espécie. Talvez seja só por isso, eu seja lembrado. Talvez só daí a minha importância venha e talvez alguma chance eu tenha. Talvez ninguém note, ninguém veja toda a tristeza que escorre dos meus olhos, enquanto me colocam em meio a toda espécie de gente, sendo olhado e alimentado, dentro de uma grande jaula, dentro de um grande aquário, como se o perigo fosse eu, e não o que está lá fora, que, sem ter a menor compaixão ou piedade, destruiu todos os do meu mundo, e agora me coloca, me deixa e me abandona, sozinho, como especial único e adorado, para que eu fique e aqui permaneça e esqueça a ultima vez que fui amado.

* meu irmão Mário Bortolotto me contou a história dele. achei que pessoas assim a muito já tinham sido extintas…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: